quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Minuscule dragonflys bully other insects

http://www.youtube.com/watch?v=kuJScsGUFB4&feature=related

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Homenagem

FLÁVIO
Alma imprescindível para Deus

Ele sempre nos demonstrou amor
Em nenhum momento nos privou do seu sorrir
Embora tudo fosse tamanha dor
Ele era quem nos dava esperança aqui

Nossas orações pareciam não ter fim
Queríamos tê-lo conosco só um pouquinho mais
Buscamos Deus em tudo pra não deixá-lo ir
Sem antes um milagre alcançar

Sabemos que tudo nosso Deus pode mudar
O quadro e o final de cada história
Mais do que pedimos, Ele pode fazer
Mas antes de tudo Ele precisa nos ensinar

Que suas maravilhas estão além do que podemos ver
O por quê, no começo, não conseguimos decifrar
Certas circunstâncias não queremos entender
Mas, pela sua graça podemos contemplar

Que,

Em meio a tanta luta não entendíamos
Que através dele, muitas coisas mudariam
Ele veio como um anjo vindo do céu
Para cumprir o mandado que veio de Deus

Tanta coisa ele nos deixou
Em nenhum momento se quer reclamou
Sempre ensinando como ter fé e lutar
Pra que no final, a vitória, possamos alcançar

Toda sua alegria e seu jeito sereno de ser
Hoje só nos faz relembrar e entender
Que era preciso por tudo isso passar
Para que muitos, a Deus, pudessem enxergar

Que depois de tanta luta, mas agora em glória
No céu hoje há uma festa brindando uma grande vitória
De mais uma alma imprescindível para Deus
Que após completar sua grande carreira, em seus braços de paz, Ele o acolheu.

Saudades...

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A simplicidade na vida

Você já parou pra observar como o que é mais belo tende a ser simples?
A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta repararmos a vida silenciosa e perfeita nos jardins, na natureza. Cada flor toma o seu lugar. Não há concorrência entre as rosas, não há angustia nas margaridas e nem ansiedade nos jasmins. Elas simplesmente levam suas vidas no seu devido tempo. Não querem outra coisa a não ser viver cada instante. Não se preocupam em ser melhores, não há exagero de forças, desgaste de energias. Florescem quando precisam florescer. Recebem o sol, chuva, vento e morrem ao seu tempo. São simples.
Pode-se dizer que a simplicidade éo estado mais puro da realidade. Uma semente por exemplo, é simples. Ela é o que é. Pequena, frágil, sem atrativo algum. Não querem ser flores antes do tempo. Não querem ser mais do que podem ser na hora exata. Vivem seu dia a dia simplesmente esperando cada momento.
E nossa vida tende a ser assim. Já dizia o poeta "Simplicidade é querer uma coisa só”. Ele tem razão. Quanto mais queremos, mais chances teremos de não termos nada. Como diz a frase “ Quem tudo quer, nada tem”. Porque querer muito nos torna complexos. Nos enchemos de filosofias, planos e estratéias pra atingir algum objetivo. Nos perdemos muitas vezes da natureza da vida. Dedicamo-nos aos desejos que cegam nossos olhos e assim nos perdemos do que é simples.
Pessoas simples são leves. Carregam menos bagagens quando vão viajar. Preferem guardar suas forças e energias pra aproveitar a paisagem. Já os que carregam tudo mais pesado, correm o risco de ficarem presos às suas bagagens. Se tornam limitadas quanto ao aproveitamento de correr pra admirar ou andar pelo aeroporto. Ficam pesadas, mal humoradas, cansadas.
A simplicidade está extremamente ligada a uma leveza nas relações humanas. Uma pessoa simples leva tudo de forma mais doce. Cultivam a forma mais leve de se manter em um ambiente. Não fazem escândalos, brigas desnecessárias, não promovem discussões sem motivo. Enxergam o que lhes faz bem e o que não faz, simplesmente deixam de lado. Não é feitil de uma pessoa simples concorrer, manipular, se desgastar com pouca coisa. Como as flores. Vivem tudo a seu tempo. Prendem o olhar e se interessam por aquilo que realmente vale a pena.
Pessoas simples são as que se encantam com pequenos presentes. Ainda que esses não tenham um valor material grandioso. Sabem dar valor às coisas mais pequenas. A simplicidade as capacitam em reconhecer que nem tudo precisa ter utilidade para ser agradável. Por isso é fácil presentear os simples.
Já os complexos, nunca sabemos como agradar. O que será de bom ao seu olhar. São pessoas difíceis de se compreender. Nunca sabemos o que ela gostaria de receber.
Só na simplicidade é que conhecemos alguém de verdade. São pessoas que falam praticamente com a alma. Nos passam calma. Quando as máscaras das pessoas complexas caem pelo chão e seus personagens são abandonados, é que podemos saber a sua real essência.
Não gostaria nunca de perder esse ponto de vista. A cada dia que acordo tento ser mais simples. Não quero permitir que os planos que almejo pro futuro, desejos e sonhos me tirem sutilmente toda a leveza de uma alma simples no agora. Eles são importantes desde que não tirem a minha essência interior.
Ser simples em todas as formas. Na hora de perder. Na hora de ganhar. Ser como uma vida na natureza que até mesmo na morte são simples. Quando é chegada a hora, se entregam ao último suspiro e se vão.
Quanto mais eu simplificar a minha vida, sinto que posso ser ainda mais feliz.

domingo, 29 de novembro de 2009

Tudo ficará bem

Um bom e velho final de semana
Uma garota sonhadora
Um coração que não descansa
Uma palavra prometida
A saudade que se encosta na esperança
Coração quebrado
Um salto pra dentro do carro
Velocidade na estrada
Sorriso reprimido
E, música alta
Na mão se ajeita a máquina fotográfica
De pé ao longe, num morro
Olhar engatilhado
Sinto a adrenalina na espinha
A ansiedade ao lado
O sonho perdido
Amor desconsolado
Um mundo invisível
As estrelas brilham como diamantes
Sozinha fico ao lado do telefone
Pra quem sabe ele me fazer sentir viva
Saber que ainda há alguém aqui
Quando souber o que se passa em minha mente
Apague o sol e estenda um céu estrelado
Não quero calor
Só quero um abraço
Quero descer até o oceano
sentir ao ar livre apenas a água e areia
sentir o silêncio cada vez mais mudo
apenas deslizando na batida do coração que acelera
Olho pra trás e não vejo ninguém
Bem baixinho, um anjo sussura o meu nome
"Ei, tudo ficará bem".

Música e personalidade

Vocês vão me achar uma louca. Mas achei tão engraçado e ao mesmo tempo tão verdade o que foi pensado nesse final de semana, que resolvi escrever aqui.
Estava eu ouvindo a música Creep - Radiohead, quando meu pai me perguntou porque eu gostava dessa música, o que eu via nela e nas outras no mesmo estilo. Aí eu falei: Eita! Uai, porque eu gosto do ritmo, letra, tudo, oras. Normal. Pergunta sem noção (pensei) hahaha...
Aí ele veio com outra: O que você vê nesse ritmo?
Pensei - O que é que ele tah querendo?
Respondi: Ai pai, que perguntinha, hein. To aqui tratando minhas fotos, ouvindo uma musiquinha e você me vem com essas perguntas? hahaha... Eu gosto desse tipo de música, sei lá, porque ela começa bem levezinha, de mancinho e depois ela "cresce" em termos de som. O ritmo aumenta. Um som progressivo, digamos assim. Me faz bem.

Veja bem. Pleno sábado e eu fazendo análise de música com meu pai, hahaha... Por isso que sou assim. Doida.

Eis que veio a filosofia dele. É então, por isso que perguntei. Você pode ser comparada com esse tipo de música. Desde pequena. Sempre começa tudo da forma mais "leve", devagar e depois, vixi maria, desembesta... hahaha...
Nós dois caímos na risada, aí ele me deixou pensando... E não é que é verdade mesmo?

Até pra falar. Sou tímida pra caramba. No começo falo sempre pouquinho, meio "com medo", mas depois que eu pego confiança, me aguentem, viro um papagaio ambulante. Falo mais que o burro do Sherek, hahaha...

Nesse sentido me veio também a lembrança de quando comecei a pintar. No começo a D. Carmem dizia: Solta essa mão, você está com medo. Tem que relaxar. Depois... hahaha... Ela falava: Nossa! Não sabia que ia dar tão certo. Você tinha muito bom gosto, mas não achava que iria pegar tanto o jeito da coisa. Ficou com a mão tão leve que os pincéis deslizam de uma forma até gostosa de se olhar.

E não para por aí minha análise pessoal a partir da música (louca louca), haha...
Quando chego numa festa, pra pegar uma amizade, no trabalho, em completamente TUDO em relação a minha vida, eu sou assim... como uma música progressiva. Começo devagarzinho e depois tudo vai se intensificando. Impressionante. Pelo menos na minha visão isso é pra melhor, né? hahaha...

Aí você pode me falar: Ah! Mas qualquer pessoa é assim. No começo é tímida, quieta, depois se solta. Mas não. Tem pessoas que já chegam chegando. Vão falando de tudo. Sabendo de tudo. Falante. Empolgadas. Cheio de gás. Eu já sou ao contrário. Vou me desenrolando com o passar do tempo. Vai aos poquinhos. Acho que sou muito desconfiada. Não me abro pras pessoas logo de cara. Preciso pegar confiança.

Acho que começar aos poucos, de forma "leve" é como se causasse uma adrenalina em mim. Como se estivesse subindo bem devagar a subida de uma mantanha russa e depois ela desce à tona. Adrenalina pura. Delícia!

Deve ser por isso que também na dança, gosto tanto de tango. Você vai fazendo passos bonitos, leves, curtos e de repente surge aquela pegada. Aquela volta. Aquela jogada. Depois volta ao ritmo mais leve e vem o mais forte e por aí vai. Eu me delicio. Pra mim não há coisa melhor.

Meu pai estava cheio de razão. Eu gosto de ir aos poucos, pra pegar o jeito e quem sabe até mesmo surpreender. Como uma música progressiva. Começa tão calminha e no meio vem aquele ritmo que acelera o coração. Talvez seja isso que não deixa a vida tão monótona, "tocada numa nota só", mas com uma adrenalina, suspense e surpresa gostosa do que vem em seguida. Nos deixa ainda mais vivos!
Só tem um problema. Tem que ter paciência... hahaha... Vamos ouvindo a parte calminha, meio até que falando, até chegar no ritmo que nos envolve mais intensamente.

Outras músicas +/- no mesmo estilo, que eu gosto tb...

Creep - Radiohead
Take Me Away - Lifehouse (linda)
Everything - Lifehouse (linda)
With Arms Wide Open - Creed (adoro)
Human - The Killers

-----------------------------

Blind - Lifehouse (Linda)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

O olhar

O olhar pode ser forte, penetrante ou fugitivo
Que aquece o peito, nos inflama e satisfaz
Delírio d'alma que arrebata o corpo e mente
De prender e nos fazer sonhar ele é capaz

O olhar pode ser leve, inocente, maternal
Um arco-íris em matizes de ternura
Um porto seguro, nossa resposta fatal
Âncora da sensibilidade. Alma pura

Rola um olhar numa ação devastadora
Ou pode ser sem querer, num simples momento
Se não retribuído o olhar nos deixa inquietos
Mas se hipnotizados um ao outro, desperta sentimentos

Porém nem sempre o olhar é de amor
Pode ser de ódio, piedade ou de paixão
Se olhado bem ao fundo, não pode nos confundir
Nos instigantes meandros da sedução

O mistério quase sempre está num olhar
amor ou ódio no mesmo rol das emoções
O enigmático é uma vida enlaçar
Lançando um olhar de amor e paixão sem restrições

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Lindo

http://www.youtube.com/watch?v=LbShUUv1MSA

Incerteza

Lá vai o trem sem destino
sem saber onde parar
Lá vai o trem com o menino
o levando a uma nova vida começar
Vai vagando por um caminho
em que seus olhos jamais viram passar
Lá vai o trem num sentido
despertando sentimentos devagar
com seu barulho intenso e abrindo
horizontes e desejos a sonhar
Lá vai o trem seu curso seguindo
maria fumaça a gritar
saindo e parando entre os trilhos
pra pessoas saírem e entrar
Lá vai o trem meu amigo
vagando sem se quer pensar
quem passou, quem entrou, quem ficou
apenas seguindo seu fluxo a caminhar
Lá vai o trem como a minha vida
num caminho em que não sei onde vai dar

Paixão e Amor

A paixão, a distância apaga. O amor, a distância acende.
A paixão passa, enquanto o amor continua.
Na paixão você ri. No amor você também ri,
sorri e, às vezes, chora.

A paixão tem limites. O amor tem obstáculos.
Na paixão você se dá. No amor, você se entrega.
A paixão é superfície. O amor é correnteza.
A paixão te leva. O amor te arrasta.

A paixão ferve. O amor transborda.
A paixão você conta a todos. O amor
você revela ao amigo.
Na paixão você curte o momento. No
amor, você vive intensamente.
Na paixão você grita. No amor você sussurra.
Na paixão tudo existe. No amor, tudo se constrói.

A paixão exige. O amor pede.
A paixão é incêndio. O amor é chama eterna.
Na paixão tudo são momentos. No amor, tudo é vida.

Num relacionamento a paixão é a que começa. O amor o que continua.

(desconheço o autor)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Maybe Tomorrow

I've been down and I'm wondering why
These little black clouds keep walking around with me, with me
Waste time and I'd rather be high
Think I'll walk me outside and buy a rainbow smile but be free, be all free
So maybe tomorrow I'll find my way home

I look around at a beautiful life
I been the upper side of down; been the inside of out but we breathe, we breathe

I wanna breeze and an open mind
I wanna swim in the ocean, wanna take my time for me, all me

So maybe tomorrow I'll find my way home...

terça-feira, 17 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Voar

Se eu pudesse, gostaria de voar voar e voar pra bem longe. Até chegar num limite em que eu não sentisse mais meu corpo, que não visse mais o chão e tudo o que eu tivesse na minha frente seria apenas a imensidão límpida e única, não me guiando por caminho nenhum, não me aprisionando em sentido algum, apenas me permitindo ser livre, no alto, bem alto, longe de tudo e perto do nada, sentindo o vento forte a ventar sobre o meu rosto, coisa rara.

(sem título)

Acontece que sem querer algo vem chegando de mansinho e sem pedir licença se aproxima e se instala dentro de nós. Ao ouvir uma música, ao acordar de um sonho, ao batermos de frente com alguma lembrança, ao fecharmos os olhos e simplesmente ver o que tanto esperamos...
Se eu pudesse controlar essa coisa que vem e sem querer me deixa assim, sentada num lugar quieto e sozinha, eu pediria que ela fosse embora. Que me deixasse sorrir, cantar e dançar de novo.
Mas não dá. Quando isso que inexplicavelmente se aprofunda a medida que os dias passam, dentro de nós, fica praticamente impossível de lutar contra.
São sentimentos que os lábios não explicam e as palavras não conseguem traduzir.
Dá um nó no peito, um aperto apenas descrito como inenarrável. Difícil de ser entendido, impossível de ser decifrado.

(hoje eu acordei assim, triste... escrevi)

The love

Ainda que minha sensibilidade seja tamanha a ponto de ajudar sem pedir nada em troca às pessoas necessitadas; Sem amor de nada adiantaria.
Ainda que eu conhecesse todos os sinais, todas as línguas, todos os gestos, toda teoria, toda ciência, todo o mistério que revele a verdade, tenha uma fé que mova montanhas, tenha asas, sabedoria que se compare aos anjos; Sem amor de nada valeria.
Ainda que eu olhasse da maneira mais doce, tocasse de forma leve, sorrisse espontânamente e agisse corretamente; Sem amor, nada disso eu aproveitaria.
Ainda que o orgulho cesse e a simplicidade reine; Sem amor, nada disso importará.

Nada valeria a pena nesse mundo sem amor.

"O amor é paciente, é benigno,
não arde em ciúmes,
não se ufana, não se ensoberbece,
não se conduz inconvenientemente,
não procura seus interesses,
não se exaspera,
não se ressente do mal;
não se alegra com a injustiça,
mas regozija-se com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

Quando cada atitude, seja em qualquer área das nossas vidas é feita com amor, o coração se enche, transborda de alegria, sabe que fez a coisa certa e tem certeza de que valeu a pena.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Parte de mim que não consigo deixar

Mais uma tarde, mais uma noite chegando
e, tudo o que eu preciso é de um novo dia
pra começar uma nova história
ou, continuar a que eu vivia
Estou entre prédios e barulhos
mas ainda mantenho dentro de mim
o cheiro da mata verde e o canto dos pássaros
Estou entre comidas prontas e rápidas
mas ainda sinto o cheiro do feijão com arroz da minha casa
Já não ouço mais algumas músicas que falam minha língua
e mesmo assim ainda sinto a melodia da música caipira
Vivo onde o amor é algo prático
Mas ainda exalo de dentro de mim o amor romântico
Vivo a fantasia e sedução num romance
Mas ainda permeio dentro de mim a doçura e pureza mais vibrante
Penso num amor forte, intenso e livre
Mas também sinto o amor frágil, doce e delicado
Ando pelas ruas fechada dentro de um carro
Mas minhas pernas ainda possuem rastros de quando caminhava a pé
Meus olhos agora enxergam tudo muito sem precisão
Mas bem dentro deles estão estampadas cenas que marcaram meu coração
Hoje quase já não vejo mais a chuva em sua extensão caindo do céu
E mesmo assim, ainda sinto toda a fragrância dela lavando a estrada de terra
Muitas vezes não consigo enxergar o sol
E ainda continuo com a imagem dele iluminando as tardes de uma casa simples no interior
Ouço as palavras bem faladas com todas as letras
e sinto saudade do "r" puxado do meu avô
Caminho em mercados exuberantes
Mas dentro de mim, caminho apenas por uma vendinha
Cumprimento as pessoas no elevador
E sinto falta das coisas simples, do bom dia dado com amor
Me olho no espelho e me vejo uma mulher
Mas dentro, a menina "sapeca" não consigo deixar morrer
Ouço hoje várias buzinas irritantes
Mas dentre elas ouço aquela que me chamava todas as tardes (o sorveteiro com geladinhos)
Fico deslumbrada com a variedades e roupas e sapatos
Mas ainda me lembro do vestidinho que guardava com todo cuidado no armário
Ao meu lado rodeiam cachorros de raça e deslumbrantes
E me lembro sempre do viralatinha que me defendia de todos os perigos
Estou vivendo a transição do interior pra cidade grande
Embora já faça um bom tempo
Posso então dizer que sou uma "moderninha" por fora,
e por dentro ainda carrego a "menina do interior" como coadjunvante.
É uma parte de mim que não consigo deixar
Às vezes ela insiste em ir
Outras ela me lembra de quer ficar
Insiste em me falar das coisas simples
pra que outras coisas não me ceguem me impedindo de Amar
Preciso dela aqui sempre
Quando conheço outros lugares
Quando começo a vivenciar um outro futuro
É ela quem me faz lembrar
De tudo o que eu passei pra estar aqui vivendo este mundo.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Shall We Dance?

Depois de uma dança dessa...

http://www.youtube.com/watch?v=bibtqDxXv1o&feature=related

Al Pacino - Scent of a Woman

Cena linda!

http://www.youtube.com/watch?v=dBHhSVJ_S6A&feature=related

En Tus Brazos

Animação francesa - Dança Tango.

http://www.youtube.com/watch?v=3PU5Tsx36E0&feature=player_embedded#

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Pra pensar


Sem nada pra fazer, domingo, fiquei zapeando pela TV. Não estava afim de ver filme, nem de ler, afim de nada. Foi quando vi a chamada no Fantástico sobre o problema do aquecimento global.
Pra falar a verdade eu nunca parei pra me preocupar, de fato, com esse tema. Mesmo tendo ouvido e falado muito sobre o assunto. Nunca parei pra pensar e imaginar realmente no que isso pode acarretar nas nossas vidas.
Não sou nenhuma entendida completamente sobre esses assuntos de emissão de gás carbônico, acordo entre países para amenizar a emissão de tais gases, ou qualquer outro fator relativo que agrega deficiências ao meio ambiente que como resposta nos trás simplesmente a destruição da “nossa casa”, então não posso aprofundar de forma formal e sucinta sobre o tema. Contudo, mesmo não sabendo as ramificações e detalhes desse quadro em que estamos vivenciando, eu, você e qualquer um, consegue e podem ter uma percepção e visão de tudo o que está acontecendo. Ou seja, não podemos nos eximir de qualquer culpa. Afinal, se há alguma conseqüência é porque houve alguma ação, direta ou indiretamente. Mas infelizmente houve e ainda há.
Diante disso, o que mais me chocou diante dos relatos feitos no “documentário”, foram as cenas que, embora fossem esteticamente lindas, a situação de uma mãe ursa polar com seu filhote ao lado presos num pequeno bloco de gelo, flutuando numa imensidão de água, jogados a própria sorte, sem dúvida foi o que me marcou profundamente. Deu aquela sensação de tristeza. A mesma de quando você tem algo importante na vida e perde, ou, sabe que está perdendo. Um frio na alma, sabe?! E me veio a pergunta que de tão repetitiva virou até clichê: O que está havendo com o mundo?
Não sou daquelas pessimistas em que olha situações chatas e tristes e vê tudo pior ainda. Mas confesso que olhando a vida desses animais sendo destruídas tudo pela nossa culpa, pela ganância, ambição, arrogância do ser humano, me deixou sem chão. De fato, quando o dinheiro e coisas materiais passam a tomar a frente do amor, não podemos mais esperar nada de bom acontecer. Presenciamos um cenário que sabe-se Deus como e quando poderá ser mudado.
É óbvio que uma mudança tão delicada nunca poderá ser feita de um dia pro outro. Mas o quanto antes tudo for possível ser realizado para um resultado positivo em prol do nosso futuro e principalmente para socorrer vidas que nunca fizeram nada pra viver o que estamos vendo, se faz mais do que necessário. É realmente uma questão de emergência. Que os políticos realmente tomem seus devidos lugares e tomem uma posição consciente de pagar a dívida gigante que estamos com a natureza. Se não a maior dívida de todas.
Às vezes sempre ouvimos a clássica frase de que não devemos nos preocupar com o futuro. Mas esse é um exemplo mais do que real, que atitudes feitas no hoje, pode sim envolver sua vida no amanhã. Se você não se preocupa ou não tem pelo menos um pingo de consciência das ações que você toma hoje, pode acontecer o que está acontecendo com o planeta. Ter que acionar o botão de alerta, estiar a bandeira de emergência e correr contra o tempo para corrigir tudo o que foi feito de errado.
Poupe preocupações e medos desnecessários no futuro. Viva o hoje sim, não a ferro e fogo, mas pensando nem que seja um pouquinho no que algumas das nossas ações podem acarretar amanhã.
Se tivéssemos pensado antes, talvez hoje eu não teria assistido esse “documentário” e não estaria motivada a escrever esse texto.
Mas enfim, agora já que o leite foi derramado, não adianta sentarmos, chorarmos ou assistirmos tudo de camarote. “Bora” correr atrás e solucionar da melhor maneira possível e no máximo tentar fazer com que essas cenas não se repitam, ou se tornem um fato rotineiro.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009



Ontem a lua estava tão linda, que não consegui dormir cedo. Fiquei horas sentada na sacada admirando...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Uma pausa pra escrever

Já tem um tempo que não escrevo mais. Sei lá. De repente tudo sumiu. Assim, puff! Ficou tudo branco. Hoje não sei porque, me deu muita vontade de escrever. Não sei porque mesmo. Ainda mais como estou escrevendo. Geralmente gosto de passar o que estou sentindo em meio a versos de poesias. Muitas vezes logo de cara qualquer pessoa consegue perceber. Já em outras as palavras ficam escondidas nas entrelinhas deixando um ar de mistério, de metáforas. Eu gosto assim.
Mas hoje não. Hoje aconteceu diferente. Me deu vontade de escrever de “cara limpa”. Acho que estou precisando falar. Sei lá.

Queria pedir mil desculpas às minhas amigas que estão notando um provável sumiço. Que me ligam e eu atendo sempre muito rápido e tenho sempre rejeitado os convites pras festas. Ao meu pai que outro dia tentou falar comigo no celular e depois de cinco chamadas perdidas (porque eu estava em reunião) tentei retornar e ele já estava dormindo. E no outro dia logo cedo me deparo com uma mensagem dizendo: Oi filha, só queria saber se está tudo bem com você. Te Amo! Pai. (ahh, que saudades que me deu naquele momento).
Ando um pouco cansada, estressada com toda essa correria de final de ano... TCC que está me deixando de cabelo em pé, correria e muitas vezes um pouco de tristeza também.

Queria pedir desculpas às pessoas que estão ao meu redor e faz um tempinho que não têm visto minhas palhaçadas, meus grandes foras, minhas gargalhadas, piadas e loucuras que às vezes faço.
Acho que estou vivendo um período um pouco quieto. Estou me sentindo mais quieta. Falo pouco. O necessário. E dou risadas mais baixinhas agora. Ou apenas dou um sorriso de canto.
Dias ruins todo mundo tem, né? Talvez eu esteja vivendo os meus agora. Mas sei que logo tudo vai passar. Isso me fez lembrar de um conto que uma vez eu li e nunca mais me esqueci. De que pra nascer uma pérola, primeiro a ostra precisa passar por um difícil momento. O momento da dor. Em que ela se fecha e curte sozinha todo aquele tempo em que algo a incomoda. De repente, como tudo na vida é perfeito, a terrível dor se transforma na mais linda pérola. Devo estar passando por isso. A pérola deve estar a caminho e eu ainda não me dei conta disso. Vai saber..

Pensei no meu irmão agora. Apesar da pouca idade que tem, de ser um molecão ainda, nunca imaginei que ele tivesse a maturidade que tem. Me surpreendo a cada dia que eu o encontro. Ele tem me dado tanta força. Lições de moral. Daquelas que você chega de cabeça baixa, ele te dá um chaqualhão e você não tem outra reação a não ser rir e pensar: Noooossa! E não é que é verdade mesmo?
Ro, obrigada por ser quem você é pra mim.

Dentro dessas semanas, dias, que estou assim, quietinha vivendo a minha vida só ela e eu, aprendi muita coisa. Aprendi a perder. A me conformar com tanta coisa. Mas isso só depois de eu ter lutado muito. Porque senão não teria aprendido, que às vezes na vida, nem sempre quando se luta com todas as forças, você terá o resultado que sempre esperava. Nem tudo é como a gente quer.

Talvez a gente enxergue uma vitória como algo que apenas imaginamos e não como ela realmente deve ser. Hoje eu entendi. Nunca sou e nem quero ser uma conformista. Daquelas que senta e espera as coisas acontecerem. Antes luto por tudo o que acredito. Mas se mesmo assim, não conseguir o resultado que eu esperava, agradeço a Deus pela oportunidade de tentar. E muitas vezes, é aí que Deus me surpreende. Você já ouviu a frase de que quem dá a última resposta é Deus? Pois é. Agora estou assim, calada, apenas vivenciando o meu silêncio e tentando buscar minha paz. Combati o bom combate. Completei a carreira e guardei a fé. Sei que Deus ainda me surpreenderá com sua última resposta. Dias bons irão chegar. Não é possível viver sem ter esperanças. E, fé é isso.

Além disso, descobri que mesmo a gente passando por tudo, sejam coisas boas ou ruins, temos sempre que agradecer. A gratidão, o reconhecimento, é o ato mais sublime do ser humano. Isso o torna mais sensível. Mais humano.
Por isso, agradeço a Deus por tudo... pelas minhas fraquezas, pelos meus choros, meus sorrisos, pelo pouco, pelos momentos, pela rejeição, pelas inquietações, pelas perguntas, pelas respostas, pelo medo, pelo receio, pelas oportunidades, pelas palavras de carinho, de consolo, pelo conforto, pelo colo amigo, pelas pessoas especiais, pelas pessoas que não me amam, pelas que me amam, por cada passo que dou, por cada sonho que tenho, pelas realizações, pelas humilhações, pelo momento de indignação, pelas lutas, pelas derrotas, pelas vitórias, pela vida.
E essa ainda não acabou. Portanto, há muito o que se fazer ainda. Há muito o que acontecer ainda.

Desculpem pelo texto de desabafo. Só escrevi porque achei importante pra mim.
Agora preciso ir, porque ainda tenho muitos caminhos a percorrer, muitas músicas pra ouvir, muitas imagens pra registrar, muita história pra contar, muitos lugares pra conhecer, muita coisa pra falar, muito silêncio pra refletir e Deus pra conversar.

Obrigada pelas pessoas que sempre estiveram presentes na minha vida e pelas que passaram e muitas vezes não tenho mais notícias.
Sempre falo que sou como um quebra cabeça. E cada pessoa que faz parte da minha vida é a peça que faltava para me completar. Por isso obrigada por cada um por longo ou pouco tempo estarem ao meu lado.

E, prometo voltar a ser a Jú “palhacita” de novo!!! ;)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Tive um tempo

Tive um tempo e saí sem rumo
Decidi tomar banho de chuva
Deixei de lado o silêncio mudo
Ouvi cada gota pingar em meu rosto
Apenas a me acariciar
e me roubar um sorriso
Tímido!
Tímido sorriso que abriu a porta da minha alma
Que clareou o meu dia escuro
Que renovou e que me presenteou com a calma
Tive esse tempo e olhei pro céu
Abri meus braços, me senti envolta a um véu
da brisa suave que me acolhia
alisando minha pele que aos poucos se arrepia
balançando meus cabelos
enchendo de perfume o meu dia
Ah tempo bom esse de segundos
Da noite serena que ia chegando
Das luzes acesas misturando-se com os relâmpagos
Levando a chuva pra outro lugar
Ah tempo bom esse de segundos
Do vento amante a me amar
Tocando o meu corpo a levitar
No momento único
em que pude sonhar

(Esperando a chuva passar... Sentei no escadão da faculdade e comecei a rabiscar)

Desejo...

Desejo a vocês
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com os amigos
Viver sem inimigos
Filme na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Ouvir uma palavra amável
Ver a banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir não
Nem nunca, nem jamais
Nem adeus
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de amor
Tomar banho de cachoeira
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas com alegria
Uma tarde amena
Calçar um chinelo velho
Tocar violão para alguém
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu...

:)

(C. Drummond de Andrade)

sábado, 17 de outubro de 2009

...

... "Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer"...(T.J)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Ai ai ai...

Tenho visto muito por aí barbies ambulantes circulando pelas ruas. Cabelos sempre no jeitinho, maquiagem perfeita, corpo escultural. Mas espera aí. E a cabeça?! Aí é que tá. Aí é que pega. Onde é que anda o conteúdo? Até mesmo os sentimentos?
Sim, porque dias desses fiquei horrorizada em ver que todas essas embalagens perfeitas são completamente vazias. Lindas por fora, mas por dentro, nada. Absolutamente nada.
Não sabem falar de outra coisa a não ser de viagens onde comprei tal produto. Cabeleireiro onde alisei meus cabelos e ficaram perfeitos. Porque os dentes precisam estar branquinhos e alinhados. Porque a bolsa da Louis Vuitton está um espetáculo nessa nova coleção. Affe!
Em 15 minutos de conversa, você não ouve algo que possa edificar. Trazer algo que lhe inspire, que te faça refletir, ou rir. É um vazio tremendo.
É horrível também pensar que muitas dessas garotas se maltratam simplesmente pra servir ao padrão que a "suposta" sociedade moderna exige. Tenho pena. Porque sendo assim, estamos dando valor à "robôs" enfeitados, a pessoas humanas de verdade.
Bom mesmo é ser feliz como cada um é por natureza. Aprendi muito em tempos atrás. Adorava também me arrumar, estar sempre perfeita. Hoje me arrumo. Não deixo de ter bom gosto pra roupas e um bom perfume. Ah, perfume. Não vivo sem. Contudo, não deixo que isso se transforme numa rotina de vida. Não permito que isso interfira numa vida mais gratificante e leve. E principalmente, que isso me transforme numa pessoa tremendamente fútil.
Prefiro estar em casa com uma calça de moletom e uma camiseta bem folgada, cabelos presos e de preferência descalço.
Corpo? Muita gente acha que eu passo horas na academia querendo deixar tudo em pé. Bunda, barriga durinha, bíceps, tríceps... Aff, como isso é chato. Eu até tentei uma vez. Mas não deu. Não aguento. Sem contar com a comida regulada para manter tudo no lugar.
Pare!
Cuido sim do meu corpo. E muito! Mas pra isso prefiro reservar uma ou duas horinhas especiais para o momento da dança. Quer coisa melhor? Ligar o som e ensaiar passos diferentes seguindo o ritmo da música? Se for pra ir a academia, que seja de dança. Além de fazer um bem danado à mente, mantenho um corpo bonito e agrego coisas especiais, que só pessoas que dançam sabem do que estou falando.
Além do que, acrescento uma boa dose de tempo para meditar um pouco. Ler um bom livro. Escrever coisas que vem de dentro. Refletir sobre as coisas da vida. Sobre o hoje, o amanhã. Falar com Deus. E sentir a paz. Pelo menos meia horinha no dia. Não sou nenhuma “zen”, longe disso. Sou é muito atrapalhada e brincalhona. Mas esses momentos me proporcionam pensar um pouco nas coisas que precisam ser levadas mais a sério. Senão meus dias viram festas.
O prazer da vida está em justamente sermos queridas(os) do jeitinho que a gente é. Sem ter que maquiar cada situação. Sem ter que deixar as coisas boas de lado.
Acordar de manhã com um belo sorriso. Coisa que os "robôs" enfeitados não fazem. Já acordam preocupadas com o cabelo.
Ficar na cama com o namorado ou maridão por muito mais tempo ao invés de levantar correndo e ter que ficar escolhendo a melhor roupa pro dia.
Ahh, curtir mesmo cada prazer que lhe é dado. Sem se preocupar se alguém está te olhando. Se a posição está perfeita. Se você está no melhor ângulo.
Sabe, aproveitar as coisas mais simples. Sentir a alma mesmo. A importância de um olhar. O valor de um sorriso.
Comer tudo que tem vontade e não ficar regulando cada pedacinho de comida do prato.
Rir a toa. Ter senso de humor. E, amar. Se amar. Tenho certeza de que isso compensa qualquer celulitizinha que você possa ter.

Se pra ser amada tem que estar impecável. Sinto muito. Então nunca vou ser. Porque gosto mesmo é de estar à vontade. Porque quero estar à vontade. Sem me preocupar com o que fulando está achando ou que ciclano está falando. Ser flexível. Me sentir livre e ser bonita do meu jeito. Simples, mas feliz.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Carta

(sem dúvida a música Father and son - Cat Stevens, esteve tocando ao fundo enquanto eu escrevia)

Eu preciso ir com calma, eu sei
Mas são tantas coisas que eu ainda quero fazer
Tantos sonhos que preciso conquistar
Eu sou nova ainda, eu sei
Mas é que às vezes parece que não vai dar tempo
De caminhar à tarde nas praias que eu nunca fui
De comer todas as comidas que nunca comi
De conhecer os lugares que eu sempre quis
De aproveitar todas as coisas lindas com quem sempre sonhei
E isso não é apenas entusiasmo de uma pessoa jovem
Meu rosto ainda é de menina
Mas meus sonhos e desejos são de mulher
Eu quero viver para que tudo eu sinta
Quero seguir por um caminho qualquer
Eu preciso ter paciência, eu sei
Mas é que a vida é tão curta para ser deixada de lado
Não falo de sair por aí e bancar a louca sem ter pensado
Eu só quero lutar pra conseguir alcançar os meus sonhos
Eu só quero poder sair e viajar pra conhecer o mundo
Eu só quero ter um único amor
Eu sei que você agora pode me falar que certas coisas não existem
Mas é que eu ainda acredito na felicidade
Cada um tem a sua forma de viver
Nós somos do tamanho dos nossos sonhos
E, eu não quero botar eles a perder
É, eu sei
Eu preciso ir com calma
Dar um passo de cada vez e olhar bem a minha volta
Eu sei quando você me orienta sobre a prudência
Eu sei quando você diz que eu devo guardar o meu dinheiro
Como é importante eu ter minha segurança própria
E que lá na frente, quando eu tiver a minha família, terei de ser forte
Que eu devo ser uma mulher, não demasiadamente justa, nem 100% santa, mas o suficientemente correta para encontrar os meus caminhos sem magoar ninguém.
Eu sei que nada que, de fato tem valor, não vem de graça
Que nada, que realmente irá durar um tempo longo, chegará rápido demais
Eu presto atenção quando você me olha
Quando você pega em minhas mãos e me dá força
Hoje eu sei quando um dia você me disse que amar iria doer e eu não entendia, ou achava que entendia
Hoje você me vê chorando quietinha e a gente até dá risada depois
Agora eu entendo
Hoje você me diz, com certeza, que o amadurecimento de uma pessoa, realmente não é contado pelos números de aniversários que a gente faz. Mas, pelas experiências que vivemos.
Eu tenho orgulho de tê-las vivido e de ser hoje quem sou.
É verdade. Através da dor a gente cresce. Hoje sou diferente.
Eu sei que tudo o que você me fala é pro meu bem
Que eu devo guardar a sete chaves e nunca me esquecer
Eu preciso ir com calma, eu sei
O mundo lá fora é louco, cruel
Mas eu preciso voar e voltar pra te mostrar como eu consegui
Como você me ensinou direitinho e hoje estou aqui
Pra que possamos aproveitar agora os meus conselhos
Contar as minhas histórias loucas
Dar risada de cada “fora” sem querer, que não foram poucos (risos)
Um dia você me disse que o amor na Terra, estava esfriando
E, por isso era pra eu tomar cuidado
Mas, esse ainda é a base que sustenta os meus sonhos
Ainda acredito nele. Num amor verdadeiro
Senão até mesmo você hoje não estaria do meu lado.
Eu tenho que ir com calma, eu sei
Mas quero viver tudo que esperei e tudo sem nem ter sonhado.
Peço que não se preocupe comigo, porque vou ficar bem
Os valores, os conselhos, levo sempre em meus pensamentos
Pois quero honrar-te também.

Filha

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Quando a ficha cai

Despertador tocando. Mais um dia. Mais um longo dia a ser vivido. Às vezes podemos ser até mesmo comparado aos presos. Não vivemos. Contamos os dias. Deixamos de lado tanta coisa. Nos pegamos presos ao tic tac do relógio. Do soar do cuco. Da posição do sol.
Já não olhamos mais pro alto. Não observamos as aves. Não agradecemos por mais um dia maravilhoso que está começando. Pela saúde e a esperança de poder começar, recomeçar tudo de novo.
E vamos indo. Não queremos saber de nada. Muitas vezes só ganhar dinheiro e satisfazer o nosso ego. Às vezes nos tornamos radicais e literalmente nos incorporamos junto ao egoísmo, individualismo, em que o outro passa despercebido. Achamos que as pessoas não têm valor e que todas se tornaram frias.
É o infeliz tempo moderno que nos cega de uma tal forma, que nem mesmo olhar no espelho e perguntar a nós mesmos o que estamos fazendo com a nossa vida, somos capazes.
E então aos poucos vamos nos tornando infelizes, automáticos e frios. Distantes. Individualistas. Sombrios.
Até que um dia a ficha cai.
Foi o que aconteceu comigo. Me peguei num susto. Numa situação que nunca imaginei e que permitiu que eu me olhasse de verdade. Me amasse. E, tivesse um carinho imenso quando me deparei parada e olhando bem no fundo dos meus próprios olhos. Eu estava viva.
Foi essa pausa, esse susto que eu tive, que me pegou de surpresa, esse minuto que passou a vida inteira diante dos meus olhos, foi o suficiente para eu me perguntar: O que estou fazendo da minha vida?
Foi nesse instante que eu descobri que ainda existem pessoas maravilhosas nesse mundo. Que estão prontas pra ajudar. Não estão apenas nos momentos bons. Mas nos ruins também. Foi quando eu agradeci por ter meus pais do meu lado. Meus amigos. Pessoas que me amam... Foi nesse instante que revivi os tempos em que eu sempre parava para poder olhar o céu. A lua, as estrelas. Admirar a chuva e agradecer pela pureza que ela nos traz.
Às vezes precisamos de um “chaqualhão” da vida, pra acordarmos e percebermos que temos um imenso valor e que muitas pessoas também o tem. E tudo o que precisamos é valorizá-los. Olhar bem no fundo dos olhos e amá-los. E que não há dinheiro nesse mundo que pague um momento de carinho, de afeto, de companheirismo.
Hoje tudo o que eu quero é ser feliz. Ser feliz do meu jeito. Na minha simplicidade. Sem me preocupar com as vaidades do tempo. Com as coisas supérfluas desse mundo. Com as futilidades, orgulho.
Hoje quero acordar de manhã e agradecer a Deus por Ele me amar e cuidar de mim. Agradecer por mais um dia de vida. Pelas pessoas que eu amo. Pelos momentos bons e os ruins também.
Hoje eu quero chegar a noite e agradecer ao mesmo Deus pela vida. (Sem Ele eu não seria nada). Por mais um dia que se passou. Pelas conquistas. Pelos sorrisos. Pelas coisas boas que me marcou.
Parece idiota. Parece coisa boba. Mas só quem realmente se pega nesse susto particular é que sabe realmente o que é aprender a viver de uma forma leve, alva, alegre.
Hoje as lágrimas correm pelo meu rosto, mas pela felicidade de eu ter mais uma chance de ser feliz. De lutar. De conquistar tudo o que eu sempre quis. Mas, de uma forma diferente. Voltando ao que eu era bem antes. Olhando Deus primeiramente e dando valor às coisas mais simples.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

A noite...

Acontece assim... O dia vai passando a escuridão chegando, seu corpo vai cansando e pronto. Depois de uma jornada inacreditavelmente cumprida, você está lá. Enrolada no edredom (caso esteja frio, como agora) abraçada no travesseiro enquanto em sua mente passa como um flash back, os momentos que mais marcaram o seu dia. E vêm as imagens, as palavras, as idéias, as alegrias, as tristezas, preocupações, vontades... Quando você menos espera seus olhos vão ficando pesados, vagarosamente se fechando e a escuridão cerra de vez mais um dia que se passou. E então os momentos relembrados começam a se misturar de uma forma inexplicável com os delírios do sono. E pronto. Você já está dormindo. E aí começa.
O que seriam eles? Como descrevê-los, afinal?
Seriam os sonhos a continuidade da realidade em nossos pensamentos, ou apenas vontades reprimidas em nosso subconsciente?
Sei lá. Não estudei psicologia e, no entanto, não posso responder essas perguntas. O fato é que meus sonhos andam se confundindo com os pensamentos que tenho durante o dia. Como se eu quisesse resgatar aquilo que me aconteceu de mais importante e guardar num lugar secreto só pra mim... Então quando me pego de vez no escuro, no silêncio, no nada, meus olhos buscam lá no fundo tantas coisas... Todas as coisas, que, se tivessem como serem registradas de forma estática, seriam fotografias abstratas emolduradas na parede da minha memória. Todos os sorrisos, todas as lágrimas, todos os suspiros, vontades...
As sensações que senti durante todo o dia se misturam com o intocável, com o esperado, com o sonhado momento, tornando assim, tudo ainda mais colorido, de forma que dormir para mim se torna um delírio. Não que isso seja ruim. Mas são através dos sonhos que tiramos nossos pés do chão e voamos alto. Às vezes curtimos esse vôo e pousamos com total tranqüilidade. Outras vezes, passamos por apuros, frios na barriga, até sermos interrompidos com um susto daqueles.
Durante esse impasse de não saber como, de fato, descrever o que seriam pra mim os sonhos... Apenas gostaria de congelá-los. Isso. Se eu tivesse esse poder, pediria que eles fossem descritos como os anjos. Não sei como eles são. Nunca os vi. Mas sei a forma como são retratados e a representação de paz e tranqüilidade que essa figura nos traz. Seriam meus sonhos então, a minha paz, o meu momento de sossego e calmaria depois de um dia agitado.
As aflições que tenho passado (motivo que não me cabe relatar aqui) são as responsáveis por todos os meus delírios, de forma que aos poucos vêm me inundando e não permitindo que o peso sobre as minhas pálpebras cessem em paz a minha noite.
Talvez seja esse o motivo pelo qual tenho dificuldade em dormir e me entregar aos braços de Morfeu, ao mundo que sonho e não passa de uma simples tela pintada com as cores e formas que escolhi, apenas a ser apreciada pelo suplício de uma noite curta.
Ou talvez, seja uma simples tentativa de encontrar, nos últimos minutos que me restam ainda acordada, um motivo para poder dormir sorrindo.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Entrevidas

A força pra sonhar
ainda que seja com meus olhos abertos
nasce com um simples sorriso teu
sem palavra alguma
é apenas o silêncio que necessito
já é o bastante pro coração pulsar no peito
pra parar e sonhar um pouco mais
E então o tempo volta
volta pra poder parar
para que em teus olhos eu possa ver
que o sentimentos crescem cada vez mais
E as noites, e a vida ainda continuam vivas
E saber que a sua se confunde com a minha.
Anda tudo muito corrido ultimamente. Tudo tem data, prazo... Me pego presa a um limitadíssimo espaço de tempo. Tempo esse que não me deixa nem ao menos pensar.
É incrível como aos poucos vamos nos envolvendo com essa correria, e quando vamos ver, já foi, não tem mais jeito de sair. É trânsito, é falatório, é pressão, é casa, rua, trabalho, faculdade... Às vezes eu gosto, outras não. Se alguém parar pra me perguntar sobre isso, eu responderia que gostaria de parar. Parar mesmo sabe? Levantar vôo e ir pra um lugar bem longe, no devagar, no escondido, sem internet, sem telefone, sem luzes, sem nada, e apenas escutar o silêncio. Daqueles: Ei, tem alguém aí? E nada responde. Sem pensar no que poderia ter sido, no que poderá ser. Nas palavras que não foram ditas, outras que gostaria de dizer. Ficar lá presa ou solta, mas, quietinha, sem saber o que acontece lá fora. Apenas pra poder me recompor. Voltar aos meus pensamentos mais tranqüilos como os que eu tinha quando era criança. Sem preocupação. Sem medo. Sem anseio. Nesse lugar onde os nomes não são tão difíceis – JPEG, TIFF, PDF, HTML, PPT, DOC... Onde as cores são mais simples e não – CMYK, RGB. Onde eu conseguiria observar o céu azul, andar descalço e respirar. E as noites? Ah! Essas sim, seriam mais compridas, mais profundas, mais sentidas... Que pra mim são as melhores, como as noites de verão. Como a obra: Sonho de uma noite de verão. Pra mim a vida tinha que ter assim... Meio mágica, meio romântica, meio divertida, comprida como as noites de verão.
Mas preciso voltar a realidade, já é tarde, meu telefone está tocando e eu preciso correr pra buscar a minha mãe.

Te encontrar ali

Estive olhando através da janela enquanto a chuva caía
Os carros passavam rápido e os faróis ofuscavam a minha visão
E na minha mente só vinha você
E então eu me lembrava do seu sorriso
Do seu jeito de falar
Do seu jeito de me olhar
Eu tentei disfarçar
Mas assim como a chuva caía e lavava o chão
As minhas lágrimas não se continham
e molhavam o meu rosto
Eu fechava bem forte os meus olhos
E mesmo assim tudo o que eu via era você
E tudo o que eu via era você
Eu queria virar pra trás e te encontrar ali
Nem que fosse por um minuto
Você estivesse me olhando
E me abraçasse bem forte
E fechasse seus olhos como eu fechei os meus
E que pudéssemos nos encontrar
De uma forma mágica
Não dizendo uma só palavra
Mas sentindo cada batida do coração
Que uma música soasse aos nossos ouvidos
como uma orquestra que começa devagar
e aos poucos vai se itensificando
Eu fechava bem forte os meus olhos
E mesmo assim tudo o que eu via era você
E tudo o que eu via era você
Eu queria virar pra trás e te encontrar ali
Nem que fosse por um minuto
Você estivesse me olhando
E me abraçasse bem forte
Tudo o que eu queria era te encontrar ali...

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Por quê?

E se a mente procura a noite um por quê
o coração se desmancha e as lágrimas rolam sem querer
Mesmo tudo pedindo um pouco mais de calma
a paz vindo aos poucos repousar sobre a janela
ainda assim é difícil encontrar um remédio que cure uma alma
se tudo foi sonhado da maneira mais singela
E se as mãos tentam pelo menos algo apalpar
a tua ausência não engana, ela está ao lado tomando aquele lugar
Mesmo tudo pedindo um pouco mais de paciência
e o consolo relutando entre letras de músicas
ainda assim a alma encontra certa resistência
Sentimentos que sufocam, apertam, machucam
E se mesmo o olhar estando fechado conseguir ver
o peito na mesma hora é rasgado por não entender
Mesmo tudo querendo dizer que tudo ficará bem
ainda assim a mente continua procurando um - Por quê?

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Por aí

Saí por aí sem um destino
Entrei numa rua sem saída
Me peguei frente a um menino
Que chorava a dor dessa vida.

Tal situação me levou a pensar
Tantas coisas, tanto luxo, mas sem ninguém pra amar
Menino pequeno, branquinho, bonito
Sentado no canto, recheado de bens e tão sozinho.

Dei a volta e pra estrada retornei
Casas pequenas, as pessoas observei
Pensamentos a mil em um caminho estranho
Ouvindo um dos fabulosos cantos de Caetano.

Como é impressionante a vida lá fora
Como cada um leva sua rotina
Como aos poucos escrevem uma história
Uns demonstrando tristezas e outros exalando alegrias.

Eu sigo meu caminho registrando tudo
Cada detalhe, nada fica pra trás
Vou devagar conhecendo o mundo
Agora ao som dos versos de Vinícius de Moraes.

Rumo a minha casa vou louca pra escrever
O dia passa rápido e já está no fim
As luzes na estrada me ajudam a correr
Embalada pelas poesias do magnífico Tom Jobim.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Alma brasileira

Ah! A minha alma tem o cheiro da mata que enquadra as cidades grandes
Tem o clarão de uma tarde maravilhosa de um dia todo quente
Tem o frescor das gotas de orvalho de um dia nascente
A transparência das águas que banham tanta gente
A minha alma tem o som, tem o toque, tem o estoque de culturas diferentes
Tem a mistura, do amarelo, do branco, do negro, do pardo, que formam um país exuberante
Os gingados, as danças, as festas do que é realmente atraente
Minha alma grita todas as palavras, decifra todos os sentimentos, tem o calor humano que intensifica os desejos
Minha alma tem a imensidão que acolhe o desabrigado
O visitante que vem de longe, vem do frio gelado
E aqui se acolhe frente ao mar em busca do calor
Minha alma se reveste das variedades de espécies
Dos peixes, das aves e todos animais terrestres
Que juntos formam nossa terra de valor
Minha alma transpira riqueza
De gente forte, de gente guerreira
Que nunca desistem de sempre lutar
Minha alma é aquela que desencadeia
A orquestra do canto dos pássaros
A paz que habita entre tantos acontecimentos
Tentando toda dor amenizar
A minha alma tem o brilho do sorriso estampado na cara
Exala a esperança frente a situações raras
E impõe a confiança para o medo enfrentar
A minha alma é o cenário de pés descalços
A correria de rodas girando sobre o asfalto
Do vai e vem de um dia sem cessar
Minha alma é aquela toda falante
Repleta de mentes brilhantes
Que pra fora vão se mostrar
Minha alma tem a estratégia da bola no campo
A habilidade dos pés que enquadram um ângulo
E a todos impulsionam a comemorar
Minha alma desenha a criatividade
Mistura dons e talentos que resultam em prosperidade
De um berço de ouro para se orgulhar
Minha alma tem a cara de uma ferida insana
De uma história difícil, mas que hoje se alavanca
De um passado que deu o suporte necessário para poder caminhar
Minha alma tem a explosão do orgulho da nossa tribo
De todo povo, de toda raça de sermos amigos
Que vivem livremente podendo se expressar
A minha alma tem o godê com toda a aquarela
Tem a tecnologia e até a manivela
Resultando num lugar inteiramente cultural
Minha alma soa inquietude
Soa uma juventude
Que insatisfeita com tanta injustiça se põe a protestar
Minha alma vê além da peneira
Vê no céu a poluição inteira
Que muitos querem tapar
Minha alma tem o melhor dos dons
Tem o melhor da população
Que deveria ser mais notada
Minha alma desperta a beleza
Revela a exuberância
De um lugar calmo e sempre em festa
Mas que tem sufocado seus gritos
Camuflados seus pedidos
Alma de pessoas que aqui lutam
Por um lugar ainda melhor
Minha alma tem o reflexo do brilho do ouro
Das sementes valiosas
Das variadas plantações
De verdadeiros tesouros
Que denotam toda a satisfação de por aqui poder compartilhar
Minha alma é aquela guerreira
É a grande fogueira que a chama não deixa apagar
Minha alma canta suas qualidades
Mas também, briga por uma autoridade
Que combinando com toda nossa riqueza
Faça algo que realmente valha a pena
Para fora podermos mostrar
Minha alma resplandece todos encantos mil
Única, indecifrável, forte, delicada, alma do meu Brasil.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Século XXI - Nada mais importa

Chega um tempo em que as pessoas já não choram mais
Tempo de extrema depuração
Tempo em que os dias são tão iguais
E, na política só jorra corrupção.
Chega um tempo em que as pessoas já não dizem: -Meu Deus!
Tempo em que o medo é o apogeu
Tempo em que o amor se resolutou inútil
E a vitória de guerras é sobre os astutos.
Chega um tempo em que os olhos passam também a mentir
Tempo em que as mãos tecem apenas o rude trabalho
Tempo em que o coração se tornou seco
Tempo em que a neblina fica e não se vê mais a tranparência do orvalho.
Chega um tempo em que nada mais importa
Mulheres e homens se despem em frente a sua porta
E mesmo assim as pessoas ainda continuam sozinhas
Onde já não há mais o valioso carinho.
Chega um tempo em que tudo é um espetáculo
Nascimento, morte, casamento e divórcios.
Tempo em que os ombros suportam tudo
e são capazes de levar sobre si esse vasto mundo.
Chega um tempo em que há guerras, fome, discussões dentro de um edifício
Provando que a vida apenas segue seu enfadonho fluxo.
Chega um tempo em que o próximo é visto apenas como um objeto
Hoje pode te servir. amanhã será como uma lata chutada.
Chega um tempo em que viver já não mais importa
Regras, leis, ética, família, amor, não passa de uma geração morta.
Chega um tempo em que nada mais aqui é um mistério
Tempo em que esse mundo se tornou apenas um necrotério
De pessoas sem vida, apenas seguindo uma rotina sem ter qualquer tipo de paz e união.
São fantasmas individuais que itensificam o sinismo sem dentro de si levar um coração.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Presente

Era pra ser apenas mais um sábado comum.
Quando eis que a chave da porta da sala da minha casa se quebrou.
Dá-lhe chamar um chaveiro.
Era apenas isso. Um sábado comum, em que eu tive a péssima sorte de ao abrir a porta, quebrar uma chave. Coisa natural. Todo mundo já quebrou uma, não?! haha...
Mas não foi! Tchã tchã tchã...
Primeiro porque o chaveiro era um senhor de 72 anos, se eu não me engano.
Culto, inteligente, brincalhão e suuper otimista. Um amor de pessoa.
Cheguei ao assunto de poesias. E não é que ele era escritor?
Termimando o serviço de trocar a fechadura (olha o estrago), ele foi até o carro e pegou seu livro de poesias.
Foi aí que recebi um lindo presente. Ele recitou dentre todas que tinha feito, a que ele se lembrou logo quando me viu. Depois assinou o livro com uma dedicatória e me deu.
Não preciso dizer mais nada. Isso pra mim já valeu o dia.
Um grande beijo ao querido Zé Leonardi. Pessoa maravilhosa!

Segue abaixo a graça de poesia.

TEU SORRISO
Ah! Teu sorriso, que sorriso!
Transfigura o teu semblante,
Como cativa o teu sorriso,
Deixa teu olhar brilhante!

Teus verdes olhos sedutores,
Em rosto moreno de boneca,
É sinônimo de mil amores,
Jeito de menina sapeca.

As tuas negras sobrancelhas,
O teu semblante espelha,
Então ferve o meu juízo.

Teu flêrte mexe comigo,
Quero disfarçar, não consigo,
Fico preso no teu sorriso...

Por, Zé Leonardi

É normal

É normal que eu tenha sonhos
Que eu queira voar alto
Sair de asa delta
Pular de um pára-quedas
Ou de dentro de um balão, admirar tudo lá do alto
Contanto que sinta o vento em meus rosto
Contanto que me sinta livre, sem espanto
É normal que eu cante
Que eu grite intensamente
Que eu me proceda docemente
Que eu olhe profundamente
É normal que eu chore impulsivamente
que eu toque delicadamente
que eu beije carinhosamente
É normal que eu abrace frequentemente
que eu ignore ambiciosamente
que eu me iluda involuntariamente
É normal que eu escreva rapidamente
que minha mente voe freneticamente
que eu acaricie vagarosamente
É normal que meus olhos se espressem
que meus lábios se calem
que minhas mãos falem
É normal que eu esconda a dor em meu sorriso
que eu sinta prazer em ser um abrigo
que muitas vezes não me preocupo comigo
É normal que eu seja sensível
que eu seja forte
que eu seja invencível
Mas também é normal que eu às vezes esmoreça
que às vezes pareça
apenas uma criança sem proteção
É normal que surja em mim uma mulher inteira
que faz tudo de forma verdadeira
e que defende com unhas e dentes tudo o que é seu
É normal que eu corra na estrada
que ouça músicas na hora errada
e que já não se importa com decepções
É normal que eu guarde lembranças
que cultive a esperança
pois essa, não morre jamais em meu coração
É normal que você me veja falando com Deus
pedindo não só por um dia, um mundo, cada vez melhor
mas pedindo por você e eu
É normal que às vezes eu esteja só
pensativa, quieta e olhando pro nada
É normal que quando preciso
saio sem rumo pela estrada
É normal que eu seja intensa
que às vezes eu me aborreça
com pessoas e cisrcunstâncias
que teimam em me magoar
É normal que eu seja sincera
que faça brincadeiras sem ter idéia
do quanto alguma delas podem ser verdadeiras demais
É normal que eu peça perdão
que eu faça tudo por um amor
É normal que eu me afaste
de quem me faz mal
de quem não seja leal
É normal que não veja fofocando
que me veja me retirando
de rodinhas que tenham isso como assunto
É normal que às vezes eu esteja brava
que eu fique irritada com pessoas sem noção
É normal que eu busque na natureza
coisas simples pra ser feliz
Aliás,
É normal me ver estasiada
quando estou em meio a simplicidade
e principalmente quando estou em uma estrada
É normal às vezes me acharem ingênua
se de fato sou, pra mim isso também, tanto faz
É normal ver pessoas me magoando
pelo simples fato de querer ver meu pranto
Mas também é normal me ver rodeada de amigos
de pessoas muito queridas
que não se cansam de me alegrar
É normal você me ver conversando com pessoas de idade
com pessoas mais humildes
por que é com elas que ganho mais maturidade
e entendo as pequenas coisas pra ser mais feliz
É normal você me ver ouvindo todos estilos de músicas
todos programas, todo tipo de filme
porque é através deles que minha mente se põe a trabalhar
É normal você me ver com medo
mas é normal também você me ver arriscar
É normal você ouvir alguém me chamando de louca
pelo simples fato de eu tentar ousar
É normal me ver sendo chamada de boazinha
de ser toda certinha
pelo simples fato de ser quem gosta de escutar
É normal me ver sendo amiga de conselhos
de momentos difíceis
e ser pouco de baladinhas
de nunca ficar doidona e fumar porcarias
Mas também é normal me ver fazendo palhaçadas
contando diversas piadas
ou momentos raros de algumas situações
É normal você ouvir minhas gargalhadas
algumas vezes em situações inusitadas
que nem pretendo comentar
É normal que eu seja quieta no começo
mas depois me solto e como um papagaio tagarelo eu não pare de falar
É normal que me veja dançando
que me veja me enfeitando
e sempre "ajeitando" meus cabelos
É normal que me veja agradando cachorros
carregando crianças
e fazendo novos amigos
É normal que eu ame intensamente
que ás vezes eu seja inconsequente
mas cumprindo todas as responsabilidades
É normal que me achem com cara de mais nova
mas os que me conhecem a fundo
sabem que tenho uma mente mais "idosa"
É normal me ver festejando quando falta luz
"adoro acender velas pra poder ler um livro,
e porque assim, as pessoas se unem mais pra conversar"
É normal me ver alegre em dias de chuva
"adoro o cheiro de terra molhada,
de ver as luzes refletindo na estrada
a chuva sempre me traz inspiração".
É normal me ver sendo sincera demais
abominando a mentira
que de proveito nada nos traz
É normal me ver indecisa
me ver imprecisa em algumas decisões
Mas é normal também me ver
completamente certeira
quando sei o que quero em todas as proporções
É normal me ver no meio de cores
pincéis e principalmente comendo doces
É normal me ver olhando pro céu
admirando estrelas, lua, sol, nuvens
É normal sempre me ver sorridente
quando assim não estou
algo grave acontece
e eu sempre procuro não falar
É normal eu achar que todos são bons
que as pessoas nunca fazem mal
e é aí que eu preciso melhorar
É normal eu fazer das "tripas, coração" pra alguém ajudar
É normal me ver falar besteiras
compartilhando asneiras
pra um dia de tédio, rápido passar
É normal as pessoas julgarem a minha aparência
mas o que está lá dentro
são poucas as que conseguem valorizar
" essas são as que pra mim, sempre vão ficar"
É normal que eu ame poesias
que eu seja romântica
que adore músicas italianas
e tantos mpb's
É normal me ver sendo tracidional
mas quando é preciso, posso ser extremamente radical
É normal eu dizer que não sou perfeita
porque de fato eu não sou
todos temos nossos defeitos
o mínimo que precisamos
é reconhecer cada um deles e tentar melhorar
E é normal que me veja tentando fazer isso.
Afinal, "A perfeição, nada mais é que uma motivação
para realizarmos práticas cada vez melhores em qualquer área das nossas vidas".

Só não é normal eu estar escrevendo tão claramente um pouco de mim, Mas, quem sabe não seja isso também que eu esteja tentando melhorar? ;)

domingo, 28 de junho de 2009

Eu sei, que...

Eu sei,
que a frase “viva cada segundo como se fosse o último” é difícil de concretizar
que momentos perfeitos parecem ser raros, mas que muitas vezes é tudo uma questão de ponto de vista
que pra certas coisas não existe talvez
que às vezes a gente espera demais de alguém, e acaba se decepcionando
que a pessoa que você menos espera, é a que mais pode te machucar
que “nunca” e “sempre” é tempo demais
que sorrir é a maneira mais barata de te deixar mais bonito
que para ajudar alguém, primeiro ela precisa querer ser ajudada
que magoar com a pior verdade é necessário, do que enganar com a melhor mentira
que não é porque alguém nunca te disse eu te amo, quer dizer que ela não o sinta
que muita gente não sabe o valor do amor, e talvez não saiba até o fim da vida
que em qualquer relação, seja entre amigos ou cônjuges, não deve haver combranças, apenas a doação mútua
que nem sempre “querer é poder”, mas que tentar nunca é demais
que o que pode parecer perda de tempo para um, é fundamental para outro
que se deve levar em consideração a opinião e valores do outro
que um relacionamento é como uma planta. Se não cultivado, ele morre
que é preciso respeitar as diferenças, mesmo sendo difícil
que oportunidades sempre aparecem, mas que é necessário ser sábio ao agarrá-las
que realmente quem procura, sempre acha algo
que todos têm recaídas, ou se sentem impotentes em certos momentos, mas desistir não deve se tornar um hábito
que os amigos são importantes, mas que a família é fundamental
que sinceridade nem sempre faz bem
que às vezes necessitamos ficar só
que as palavras podem machucar mais que um punho, e que a ausência delas, mais ainda
que amigos de verdade são poucos
que para muitos o EU vem primeiro
que às vezes é necessário se dizer com todas as palavras
que nem sempre vai haver um sorriso esperando do outro lado da porta
que tem coisas que é preciso se passar sozinho
que perder às vezes é ganhar
que paixão é o que nos move
que amor se conquista aos poucos
que um olhar fala mais que mil palavras
que as perguntas não acabarão
que o silêncio muitas vezes diz tudo
que administrar o tempo é complicado
que fazer nada às vezes é a melhor coisa
que ser legal com os outros não custa, e você só tem a ganhar com isso
que ser bonzinho às vezes não é o suficiente
que a preguiça pode matar
que uma pessoa é bela pela alma que ela possui
que a idade realmente chega, e como
que certas coisas não mudam
que para tudo se tem um por quê, mas que muita coisa não dá para explicar
que um abraço cura
que os olhos não mentem
que cada lágrima derramada tem nome
que um vaso uma vez quebrado. nunca mais será o mesmo
que a confiança é como um cristal
que o passado deve ficar no seu devido lugar
que o futuro está longe demais
que o presente é realmente um presente dado a nós
que a vida pode ser maravilhosa, basta você querer
que nunca devemos deixar de sonhar
e muito menos deixar que apaguem nossos sonhos
que o trabalho edifica um homem
que dons são presentes divinos
que o tempo é o melhor remédio
que a música dá vida a nossa alma
que esperar pode ser difícil
que sofrer é inevitável
que ter esperança é indispensável
que refletir é preciso
que viajar faz bem pra mente
que andar descalso te dá energia
que olhar pro alto te faz descobrir coisas novas
que ter alguém ao lado é essencial
que nada se faz sozinho
que a vida passa rápido
que não se deve brincar com os sentimentos dos outros
que nunca se deve "usar" uma pessoa para curar suas feridas
que é preciso tomar cuidado com suas decisões
que nunca se deve envolver alguém que não tem nada a ver com as suas desilusões
que o caráter é algo que você nasce com ele
que ninguém é para sempre, então dê a devida importância
que muitos dariam tudo para ter o que você tem
que tempo livre às vezes é luxo
que antes de dormir é sempre bom refletir sobre como você agiu durante o dia
que a melhor coisa é saber que você é uma lembrança boa para alguém
que é muito bom gargalhar até chorar
que uma pessoa verdadeiramente culta é simples
que quanto mais você tenta saber, menos você entende
que pequenas ações podem realizar sonhos
que ser pessimista é uma questão de costume
que acreditar é fundamental
que apontar os defeitos dos outros é muito fácil
que ser responsável não é tão simples
que depender de alguém às vezes te anula
que nem sempre o que é cômodo é viável
que eu ainda tenho MUITO o que aprender
que um segundo faz a diferença
que eu posso fazer a diferença! E você?!

E que,
agora que você leu tudo isso, eu posso dizer que...
...paciência é uma virtude!


ps.: Depois de um loongo tempo esquentando a cabeça com o bendito TCC (depois de ter perdido tooodos os arquivos de criação por um descuido alheio. Refiz tudo novamente. Deu tudo certo no final! Sou guerreira, rsrs... Enfim, férias!!! Graças a Deus! Bom pra por em ordem muitas coisas...
Ausente por um tempo... Deixo esse texto fantástico que encontrei navegando pela internet. O autor é desconhecido. Mas, é o típico texto que eu ADORARIA ter escrito. Sábias palavras.


Beijo a todos e ótimas férias...

sábado, 27 de junho de 2009

A escrita e eu


Nos apegamos há algum tempo já
Em qualquer lugar estamos juntas
Você vem e preenche meus pensamentos
Transborda através das minhas mãos
E vamos descobrindo um mundo cada vez mais novo
Você ajuda a me descobrir aos poucos
Como um espelho da alma me põe de frente comigo mesma
Já não me vejo sem você
Me ajuda a desabafar
Me ajuda a falar quando não consigo
E até a chorar quando preciso
Juntas podemos fazer canções
Podemos fazer poesias
Podemos construir ilusões
Podemos compartilhar alegrias
Onde quer que eu vá você estará comigo
Não tem jeito, somos tão íntimas
Somos mais que amigas
Outra igual já não há
Eu e você na madrugada
Eu e você na noite gelada
Eu e você no campo
No canto
Na varanda
Na estrada
Em minha mente sempre estará
Transpassando meus sentidos sem parar
Ah! Onde quer que eu vá
Comigo você sempre estará.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Aqui


Ao longe ouço o canto dos pássaros festejando
No regalo da tarde que encobre o manto verde que me ajeita
Com os olhos ao infinito me elevo nos sonhos
No sereno da paz, do orvalho que me aceita
Há uma estrada que me leva, que me marca na fazenda
É onde me leva a uma vida inteira
Cada cantinho, cada história
Estão marcados na memória
Que pra sempre vão ficar
Há o fogo que me aquece, me embala sem respostas
Simplesmente me protege das vozes
Das tristezas que queiram me afrontar
Há a casinha que mora no fundo tão distante
Não é colorida, não é elegante
Mas tem o aconchego onde muitos queriam morar
Há uma paz que rodeia de graça pelos ventos
Não há relógios, não há tempo
Para que possamos do amor desfrutar
Há um chão que cheira mato, cheira terra
Quando a chuva cai e a molha inteira
Nos permitindo então sonhar
Há uma rede tão grande e quente na varanda
Um violão que as mãos encenam
Uma canção de amor para conquistar
Aqui onde pisamos em vales de tantas flores
Cachoeiras que nos libertam de tantas dores
E o vento forte que nos faz levitar
Aqui onde nos nossos olhos se reflete a esperança
Onde nos ouvidos soam a bonança
De um mundo simples e tão puro de se morar
Aqui onde o perfume dos cabelos se misturam com o das flores
Onde uma alma ganha mais vida
Onde persistem os grandes amores
As tempestades que marcam e que causam tanto medo
Não se comparam com o segredo
De um dia novo de sol a brilhar
A campina que se avista tão vasta no horizonte
Não se troca nem por um instante
Pelo prazer de nela poder correr e brincar
Um olhar que às vezes olha tão triste sobre a montanha
É o reflexo de uma alma
Que às vezes tão só caminha e ganha
Presentes da natureza sem esperar
É a janela que contrasta com algum sorriso ofegante
De quando alguém surpreendente
A olha de longe a sonhar
Aqui onde da terra sentem-se todos os sabores
Onde a colheita alegra as mãos dos fortes senhores
Que o dia inteiro passam a cantar
Aqui onde brilham forte a transparência das lagoas
Reflexo da personalidade das pessoas
Que por aqui vivem a caminhar
Aqui onde uma voz macia grita seus grandes sonhos
Que voam tão longe pelos fortes ventos
E que como as ondas sempre voltam no seu lugar
Nos passos, nas vestes e nos arredores
Percebemos que este é o lugar
Onde existe tudo o que precisamos
A paz, o amor, a simplicidade para amar
No olhar, no sorriso em cada gesto
Percebemos no mesmo instante
Algo forte, delicado e primoroso a se cuidar
Há uma calma que exala que marca o visitante
Um aconchego exuberante
Onde em nenhum outro lugar poderá se econtrar.

ps.: Inspiração que surgiu vendo algumas cenas da novela Paraíso.

Pensamento

A perfeição nada mais é que uma motivação para realizarmos práticas cada vez melhores, em qualquer área das nossas vidas. (Juliana Sabbatini)

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Longe


Hoje a noite está serena
Está muito frio lá fora
A janela do meu quarto me encena
Num capítulo que nunca vi outrora

O vento sopra forte, muito forte
Estou só, olhando as estrelas
A lua ora aparece, ora se esconde dentre as alcovas
Prendendo toda minha atenção sobre ela

Apenas seu brilho ilumina minhas folhas de papel
Tento escrever algo que eu possa entender
Decifrar o gosto amargo de uma lágrima,
ou um sorriso doce como mel

Nada se pode dizer quanto ao indecifrável
Podemos apenas admirar os caminhos traçados
Como o dessa pérola da noite que brilha sobre o céu estrelado
Que ora me sorri, ora se esconde sem deixar rastros

Há uma música suave tocando ao fundo
Fazendo-me viajar pra outro mundo
Numa estrada longa sem um final
Levando-me a seguir apenas um sinal

A luz branca que se reflete sobre o chão
Que me passa confiança dentre tanta escuridão
Num caminho tão incerto e desconhecido
Mas que me faz sonhar que no final há um paraíso

(...)

De repente minha folha de papel de versos ficou preenchida
Já não tenho mais o que escrever
O frio aperta ainda mais e estou desprotegida
Preciso me deitar e me aquecer

Meus pensamentos ainda ficam na estrada
Meu olhar, nessa lua engraçada
Aos poucos meus olhos adormecem
Antes mesmo que eu consiga terminar uma prece

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pensamento

Trabalhe, trabalhe muito!
Contudo, não seja como o pato. Que embora nade, ande e voe, não faz nada direito. Ele não nada como um peixe, não caminha como uma onça e não voa como uma águia.
Se especialize em algo e faça a diferença. (Juliana Sabbatini).

Pensamento

A sabedoria vai muito além da inteligência humana. É ter uma visão muito mais profunda, mais panorâmica, de como você enfrenta os problemas, administra suas vontades, controla seus desejos e tudo que passa pelo seu caminho nessa vida. (Juliana Sabbatini).

terça-feira, 16 de junho de 2009

Pra falar de amor


Pra falar de amor não pode haver preconceito. Fazer as coisas como quer, se preocupar apenas com seu jeito.
Pra falar de amor é preciso se libertar. Ser cúmplice, saber amar.
Pra falar de amor é preciso a ingenuidade, a pureza de um coração saudável. Não é pensar com a cabeça dos homens e seu raciocínio ideológico. É agir com a alma extrema dos anjos.
Pra falar de amor, precisamos de mais sentidos. Não apenas usar palavras, mas demonstrar com cada gesto. Um “eu te amo” é o um “bom dia”, “oi, como vai você?”, “saudades”, “pensando em você”...
Pra falar de amor não podemos nos esconder através de orgulhos que nos barram. É resplandecer o brilho que há no fundo dos nossos olhos.
Pra falar de amor, não pode haver ausência. Não há como ter ausência quando realmente somos pegos pelos verdadeiros sentimentos. A qualquer modo queremos entrar em contato. Seja direta ou indiretamente. E se a ausência teima em permanecer, não conseguimos suportá-la. Ela faz um barulho tremendo dentro da gente.
Pra falar de amor, nossas atitudes ultrapassam todos os limites. Nos despimos de medos e descumprimentos para nos tornarmos cúmplices.
Pra falar de amor, não existem teorias. Não existem desculpas. Não há o que o obrigue.
Pra falar de amor é preciso mais do que belas palavras. É preciso mais que um toque. É preciso mais que uma noite.
Pra falar de amor é preciso realmente senti-lo.
Pra falar de amor, não pode haver covardia, nem pensar no que se passou. E sim, agir no presente, sonhar com um futuro, esquecer de toda dor.
Pra falar de amor é preciso esquecer de um mundo material e pensar num mundo do coração. É abster-se do que é desigual, é semear uma atitude de perdão.
Pra falar de amor é acreditar que em muitas coisas tudo é lindo. Que o feio se torna belo. Que muitas atitudes nem sempre são a que esperamos.
Pra falar de amor é preciso diálogo. É preciso que os olhos brilhem. É preciso ter coragem. É preciso que haja afinidade.
Pra falar de amor é preciso lutar. Vencer os obstáculos, enfrentar as dificuldades e às vezes até ignorar.
Pra falar de amor, não existe o esquecimento. A pessoa está ali, presente em todos os momentos. Onde quer que você esteja, preso em seus pensamentos.
Pra falar de amor, não é preciso uma prova. Não é preciso uma cama. Não é preciso fazer promessas.
Pra falar de amor é o dia a dia que cresce, que resplandece mesmo quando o tempo se encontra nublado.
É você acordar feliz, querer beijar todo mundo, sorrir pra qualquer um na rua, pelo simples fato de ter quem sempre quis ao seu lado.
Pra falar de amor, as noites, a lua, o sol, as estrelas se tornam poesias. Piadas sem graças, contos intermináveis se tornam nossas alegrias.
Pra falar de amor, é ver como o sorriso dela (e) é engraçado. Como os olhos brilham. Como é suave vê-la (o) conversar, como são puros seus lábios.
Pra falar de amor há o medo de perder; De nunca mais ver quem tanto ama. Há a saudade que machuca, que dói e que pela pessoa especial grita e chama.
É aos poucos se despir e mostrar completamente nua a sua alma.
Pra falar de amor é preciso confiar; Naquilo que está de fato aí dentro, em quem está do seu lado e no que ainda está por vir.
Pra falar de amor, é respeitar os sentimentos do outro, é preciso estar de peito aberto, é preciso se permitir.
Pra falar de amor, é preciso se libertar dos medos, dúvidas e fraquezas. É agir com sinceridade, com verdade, com certeza.
Pra falar de amor é preciso ter caráter, que não é uma prova de si mesmo. Mas suas atitudes em prol do outro que o julgará ser o que é realmente.
Pra falar de amor, não pode haver brincadeira. Não há como ter leviandade. Tem de haver parceria. Tem de haver lealdade.
Pra falar de amor, não existe competição, não existe ciúmes exagerados, não existe “jogo”.
Pra falar de amor, não pode haver comparação. No que foi, no que é e no que ainda há de ser.
Pra falar de amor, não é preciso nos tornarmos completamente cegos. Não é preciso deixar nos envolver por uma pessoa que tão pouco se importa com nossos sentimentos.
Pra falar de amor, não precisamos ser bobos. Não precisamos sempre pisar no escuro e andar sobre o incerto.
Pra falar de amor, só precisamos estar com quem realmente nos quer bem. Estar com quem realmente demonstra isso.
Pra falar de amor, temos que definir a ponte da transparência como algo primordial diante das palavras, das atitudes, sem assunto algum ser vedado.
Pra falar de amor, não precisa de muita coisa. Não precisa de livros, de músicas, literaturas, apenas ser. Ser romântico a seu modo, ser surpreendente, estar próximo, ser amor, amar a si próprio.
Pra falar de amor, não tem porque haver cobranças. Mas tem que haver o respeito mútuo. Tem que haver uma troca. Não há como amar sozinho. O amor é uma via de mão dupla.
Pra falar de amor, é preciso apenas sentir. Afinal, o amor não se explica, a gente simplesmente sente. E pra isso, não existe tempo.

Pérola



De repente descubro-me como uma pérola das águas da vida. Fruto de um corpo estranho e invasivo que então me formou. Posso ser a alegria, a exuberância e até mesmo a cura para uma dor. No entanto, mantenho-me no silêncio das profundezas desse vasto mar. Minha casa é uma concha dura e grosseira, porque na verdade, dentro dela, há algo muito sensível pra poder sem ela ficar. Por isso, protejo-me. Permaneço aqui dentro escondida, às vezes com medo de arriscar. Abstendo-me das correntezas que pra longe queiram me levar. Das turbulências oceânicas. Da voracidade dos peixes e das substâncias do mar.
Refugio-me aqui dentro, lá no fundo, bem lá no fundo, enquanto tudo é perigoso lá fora; Mesmo sabendo que um dia serei descoberta; Serei retirada, lapidada pelas mãos de quem um dia me buscara.
O que me resta, portanto, é apenas esperar refletir todo o meu brilho e toda a minha plenitude aos olhos daquele que me querer como uma jóia. Daquele que souber preservar toda a pequenez de uma pedra rara. Porque a ele assim serei – como uma pequena e imutável, pérola.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Dia dos...

Como um imã que atrai
Aquela mão com a minha se entendeu
Estando ela toda gelada
Aquele calor logo me aqueceu

Olhar profundo frente as palavras
Silêncio que permanecia intenso
A admirar-mos ficávamos calados
Sentindo somente o pulsar forte no peito

Primeira vez que nos víamos
Tantas palavras, tanto labor
O que viera pela frente não sabíamos
Se ficara amizade, se despertara o amor

Foram algumas horas juntos
Olhares, palavras que se perderam
Estávamos tão estasiados
Frente as novidades que nos entreteram

Alguns passeios e músicas dedicadas
Carinho em seus cabelos, íamos pela estrada
Lugar bonito, calmo e acolhedor
Foi onde estivemos juntos a ver o pôr do sol

Diante de tanta correria
Seu contato com o meu se perdeu
Meus pensamentos se entorpeciam
Sem saber o que aconteceu

Nos encontramos novamente
Algo diferente aconteceu
Estava sem pensar em nenhum romance
Um filme de suspense ele ofereceu

Como pro mar as ondas retornam
Seu corpo retornou ao meu
O silêncio então pairava
Frente ao vulcão que estremeceu

Se é paixão, se é amor
Do acaso eu não sei
Mas algo bonito e algo maior
É uma história que ninguém escreveu

Hoje o dia está ensolarado
Sentada estou frente a campina
Ao longe sopra um vento gelado
Levando meus versos a quem eu os dedico

Talvez ele esteja pensando em mim
Ou pode ser que já me esqueceu
Mas mesmo quieta penso nele aqui
Pode ser que ele pense como eu

Preciso agora voltar a caminhar
e trabalhar meu silêncio fotografado
Ao lado dele não posso estar
Se passa assim o Dia dos Namorados

Pensamento

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?" (autor desconhecido)

quarta-feira, 10 de junho de 2009

O beijo inesquecível

Estava tenso. Suava frio.
Separado por uma porta
que aos poucos se abriu

O silêncio pairava no ar
Diante daquele momento
Não havia o que falar

As mãos com as flores se entrelaçavam
Primeira vez que fizera isso
Não sabia como começar
Pois já imaginava o previsto

Ela então sorriu
Para espanto de seu semblante
Olhando para sua face então chorou
E a abraçou rapidamente

Com jeito meigo e carinhoso
Ela então prosseguiu:
Querido, eu te perdoo
Não precisa nem pedir

Dessa vida nada levamos
Me magoou e eu sofri
Mas hoje eu já não mais me importo
Com a decepção foi que eu cresci

Só peço que siga teu caminho
E não olhe mais pra trás
Deixa eu seguir o meu destino
Vai e procura quem possa te amar

Cabisbaixo então ficou
Sabia tudo o que perdeu
Uma lágrima contida derramou
Por tudo do que se arrependeu

Ela então lhe deu a mão
E as flores acolheu
Em sua face o beijo do perdão
Que jamais ele esqueceu

E se foi...

quarta-feira, 27 de maio de 2009

E você? Tem sido um bom líder?

Se tem uma coisa que eu adoro fazer, é retirar de acontecimentos, conversas, passeios, filmes, viagens, sempre algo bom que eu possa acrescentar em minha vida. Terça-feira, após assistir o filme – Um ato de liberdade, em ótima companhia, diga-se de passagem, fiz isso. Aliás, uma ótima pedida a quem deseja ir ao cinema por esses dias. O filme é fantástico. Além de toda a produção, forma de como é composto, trilhas, ótimos atores, a história é realmente para se refletir.
Não vou contar o filme aqui, claro. Mas a sinopse é interessante para que meu pensamento se direcione de uma forma mais clara.
O filme conta, baseado em uma história real, a época em que os judeus estavam sendo exterminados aos milhares pelos alemães durante a II Guerra Mundial. E por um ato de vingança, honra e salvação, história clássica sobre família, três irmãos se unem e se refugiam em uma floresta conhecida por eles, dando início a uma luta intensa pela sobrevivência contra os nazistas. Entre uns e outros acontecimentos que você poderá acompanhar no filme, “nasce” um líder. Daí, minha reflexão. Sobre como ele enfrentou toda sua trajetória em tempos tão difíceis.
Claro que no filme, o líder é estereotipado como o que comanda uma grande comunidade, que passam a admirá-lo por toda sua força e segurança que lhes é passado e então o seguem. Contudo, nos dias como os de hoje, podemos trazer esse líder para dentro de cada um de nós. E para isso não é necessário que movamos um determinado número de seguidores, que tenhamos um empreendimento, ou que sejamos o posto - mor dentro de uma empresa. Basta nos olharmos diante de um espelho, e está ali.
E aí a pergunta: Você tem sido um bom líder?
Opa! Como assim?
Vivemos em tempos de guerra, como no filme. Mas essa guerra atual tem se manifestado só um pouquinho diferente, ou seja, dentro do campo de trabalho, na faculdade, em relacionamentos, posição social, e entre tantos outros pontos da sociedade, o que é um absurdo. Mas é real. E a cada dia essa guerra que nos consome freneticamente, cresce de uma forma desenfreada. E, se não mexermos nossas armas, se não tivermos objetivos, criarmos metas e estratégias para que estes sejam alcançados, somos completamente engolidos pelos “leões enormes” que rugem atrás de nós. Somos pegos frente a uma extensão gigantesca em que a atualidade deve ser mantida, nossa mente deve ser ágil e nosso psicológico deve ser mecânico. Sentimentos? Não. Isso é deixado em último plano, porque não se torna, na maioria das vezes, o mais importante. Afinal, estamos num campo de batalha. O que é um grande erro.
E o que fazer então? Diante dessa guerra entre o “eu” e o “mundo” que nos cerca e nos encurrala de diversas formas?
Apenas ser um bom líder. Pra si mesmo. Pra sua vida.
Um bom começo é você se reconhecer como tal. Você é o líder da sua vida. E precisa enfrentar algumas batalhas que estão dispostas a você o tempo todo. Problemas que surgem em última hora. Trabalhos a serem entregues. Pessoas que querem nos “puxar o tapete”, querem nos tirar de um cargo, a luta contra alguém que queira tirar um amor da sua vida, problemas financeiros, problemas de saúde, entre tantas outras batalhas que em muitas vezes nos pegam de surpresa e nos deixam cansados, abalados, sem ânimo pra continuar seguindo. É exatamente como num campo de guerra. Você recebe uma bomba e se machuca. Então cai, e até pensa em não se levantar.
Contudo, você como um líder, deve olhar adiante. O líder estereotipado no filme olhava pra toda aquela gente, que tinham seus sonhos e queriam viver, e então ele lutava e assumia com afinco seu cargo confidenciado. Parecia ter fraquejado, mas logo se recompunha e eliminava o que estava errado.
Assim devemos fazer também. No nosso caso, as pessoas, são os nossos sonhos. Quando nos deparamos com “bombas” que querem nos derrubar, seja isso através de um problema sério que surge no dia a dia, seja algo superficial, mas que mesmo assim nos abalam, devemos sempre olhar para os nossos sonhos. Queremos ou não realmente continuar com nossos propósitos? Salvá-los ou não da “morte”?
É daí que surgem as forças. Quantas vezes você já não se pegou chegando em casa bombardeado, triste, descontente, caído, sem ânimo pra seguir adiante, com medo de tudo, desenganado do mundo? Pare, olhe pro espelho e pergunte-se: Tenho sido um bom líder pra mim mesmo?
O líder do filme passou por vários “maus bocados”. Entre a perda de seu auxílio, pessoas o olhando com maus olhos, desenganando-o de seu “cargo”, tiroteios, que, a quem olhasse, não restaria uma alma viva. Até chegar num ponto em que atirar em si mesmo para não ser morto seria a melhor saída. Perda da fé.
E quem disse que agimos diferente? Às vezes nossa situação é tão caótica, é tão bruscamente ameaçadora, estressante, sob uma pressão tão grande, que queremos “explodir”. Falar: Pronto. Chega! Não tem mais jeito. Cheguei no meu limite. Não agüento mais. Não tenho mais perspectiva alguma.
E é aí que nos enganamos. Podemos sim sair de um emaranhado imenso que prende nossas pernas, e voar ainda mais alto. É aí que a vitória é ainda maior. Aliás, sempre costumo dizer. Quanto maior a batalha, mais gratificante é a vitória. Além disso, você pode perceber que dentre toda essa turbulência sempre surge um alguém que lhe estende a mão. Ganha-se nesse momento alguém especial. Um aliado. Um amigo. Um amor. Alguém com quem você pode contar.
É no meio de uma poeira gigante que sempre encontramos o brilho de alguma pedra preciosa que esteve escondida. A pessoa que lhe dá alguma direção. Que resgata toda sua fé. Que ilumina e te ajuda exatamente quando você achava que não tinha mais jeito. São nos momentos de luta que reconhecemos quem realmente vale a pena.
Observando aquele líder no filme, ora sendo imponente, forte. Ora fraquejando, quase desistindo, pude perceber que podemos agir e agimos da mesma forma. Contudo, cabe a cada um saber administrar esse líder que existe dentro de nós mesmos. Saber a hora certa de atacar, de recuar, de reconhecer. Ou seja, o momento certo de saber expor suas idéias. De falar. De ficar calado. De saber quem realmente está do seu lado.
Pedras no caminho? Serão várias.
Obstáculos gigantescos? Inúmeros.
Caminhos tortuosos? Indubitavelmente.
Contudo, você como um bom líder, saberá que dentre tudo isso, coisas melhores estão por vir. Se, manter-se firme ao que realmente almeja, a vitória é certeira. E não há nada mais gratificante do que olhar pra trás e ver que depois de toda aquela loucura, você está ali, firme, de pé e ainda mais forte pra uma próxima batalha.
Seja ela, superando adversidades. Combatendo inimizades. Derrubando máscaras que te afetavam. Pessoas que de forma tão diferente de você pensavam e que por isso, quase te abalaram. O risco da perda de um emprego. A exaustão de um dia a dia lotado. Tudo isso frente a um ótimo líder, será aniquilado.
Os dias estão aí. Os obstáculos não param. Saiba como administrá-los. E uma coisa importante. Não perca seus sonhos e seus maiores sentimentos. Não permita que um campo de batalha te impeça de ser feliz. Afinal, não há regozijo algum em lutar por lutar.
No filme, aquele líder fez a sua parte. Percorreu sua trajetória como pode. Obteve o sucesso que almejava? Não sei. Assista ao filme. Rsrs...
Mas,
E você? Tem sido um bom líder?
Tem fraquejado? Ou, tem persistido?
Pense um pouquinho.

Pai e Filha


Pai vem aqui. Sente-se ao meu lado
Com esse seu sorriso grande e largo
Me dê sua mão. Quero conversar.

Pai eu sei que o tempo está passando
Tempos imagináveis e até mesmo estranhos
Quando ousamos para trás olhar.

Pai, aquela caixa ali sobre a mesa
Com fotografias de quando eu era pequena
Me fizeram te contar

Que você foi aquele que me deu abrigo
Quem brigou, quem abraçou e esteve comigo
Me amando e cuidando sem muito se expressar

Pai, lembra de todas as nossas viagens?
Eu ficava falando em seu ouvido, perguntando sobre as minhas curiosidades
E você sempre esteve ali para me explicar.

Pai, quanta saudade do tempo em que esteve fora
Quanto medo de você ter ido embora
Sem ao menos me contar.

Pai, quantas alegrias por nós foram vividas
Quantas chegadas e quantas despedidas
E as fotografias sempre a nos acompanhar.

Pai, hoje sei que estou crescendo
Me cuidando, aos pouquinhos aprendendo
Como um passarinho a voar.

Pai, você que foi meu herói, meu bandido
E hoje se tornou muito mais que um amigo
Alguém em quem eu posso confiar.

Não importa por onde eu siga
Estarei sempre aqui, sou a sua menina
E em meus pensamentos você sempre vai estar.

Cada vez que me olho diante do espelho
Em pequenos traços do meu rosto eu te vejo
Na maneira de sorrir e do jeito de se expressar.

Pai, entre tantos acontecimentos
Situações da vida e momentos
É que eu aprendi a perdoar.

E hoje te tenho aqui do meu lado
Todo alegre, falante e engraçado
Um grande pai a me cuidar.

Pai, assim como nossas fotos na caixa estão guardadas
Aqui dentro de mim existe algo maior que me agrada
E não tem como não falar.

Olhe bem dentro dos meus olhos
Preste atenção no tenho a lhe dizer:
Pai, eu amo muito você!



ps.: Sei que não é dia dos pais, nem nada. Mas dedico esse poema ao meu pai, após ter recebido dele, uma mensagem muito linda sem que eu esperasse.
Às vezes, entregamos um presente, dizemos algo a uma pessoa, apenas num dia específico. Ou melhor, sempre nos dias específicos. Em que o mundo inteiro também está fazendo o mesmo. Dia dos pais. Dia das mães. Dia dos namorados. Das crianças e por aí vai. Contudo, quer coisa mais gostosa e valiosa do que receber nem que seja uma palavra, num dia sem importância? Num dia comum em que as pessoas estão extremamente ocupadas com seus afazeres, que nunca iriam esperar receber um agrado, um carinho espontâneamente. Pois é. É extremamente gratificante para quem recebe e quem o faz também.
Todos os dias, são dias especiais quando você o assim faz ser.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Campos de lírios

Vento soprando me deu arrepio
Sol clareando as águas do rio
Casais se abraçando
Pelos campos de lírios

Quantas verdades estão escondidas
Laços seguros sem despedidas
Me deixam confiante
Me deixam aflita

Um dia sem rumo andando sozinha
Num caminho seguro
Sem lembranças antigas
Os campos de lírios a tarde me abriga

Um tom alaranjado pinta toda a cena
Ninguém ao meu lado, qual a sentença?
E os flashs piscando aquele sorriso
Me pego pensando nos campos de lírios

Lágrimas puras, muito carinho
Coração relutante procurando motivo
A paz vem devagar e pousa sobre o destino
Passeando em câmera lenta pelos campos de lírios


ps.: Embalada pelo ritmo da música Lírios - DeNavez, escrevi meus próprios versos.