quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Embalo tranquilo

Eu fico aqui tentando imaginar
Olhando pela janela seguindo tudo
Tudo de longe apenas com meu olhar
Me fala como é a vida lá fora
Conte-me como são os caminhos tão sonhados por mim
As várias cores, as tantas águas e as flores a enfeitar os jardins.
A noite logo vai chegando
As luzes vão ascendendo e as cores se apagando
A brisa bate forte na janela
A seda da cortina branca voa depressa
E eu aqui sentada apenas a olhar ela
A lua tão branca a enfeitar o céu
Os finos traços das nuvens escuras surgindo como um véu
Conte-me como é a vida depois daquelas montanhas
Como são os risos, como são os olhares e as pessoas
Me fale de todos os detalhes que me fazem sonhar
Como é andar descalço sobre a terra seca
Como é ter a sensação de se banhar no mar
Como é poder estar ao redor de uma lareira que te aqueça
E de como é poder correr pela chuva e se molhar.
Quero desenhar cada imagem na parede dos meus pensamentos
Quero tentar sentir os sabores e a fragrância de cada cheiro.
Enquanto a música toca suave ao som do violão
Vou ouvindo tudo de olhos fechados sem tocar o chão
Enquanto seu embalo tranquilo me faz viajar
Com você aos poucos reaprendo a alegria de sonhar.

3 comentários:

André Luiz disse...

coisas que a gente vai aprendendo no caminho. a vida vai mostrando pra gente, ou a gente vai mostrando pra vida, nunca sei..mas lembrei da frase que me lembra você: te conto no caminho..se os nossos forem os mesmos :)
beijo, flor

Mariana Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Luiz disse...

porque de vez em quando eu venho aqui reler você